terça-feira, 31 de agosto de 2010

VERDADEIRA IMAGEM

As vezes criamos figuras lendárias em nossas vidas. Fruto da nossa imaginação, fruto da nossa criatividade e também das nossas carências. Intitulamos como nos apraz. Desmerecemos tudo que sabemos a respeito dela e tudo que ela é, deixando prevalecer somente a nossa necessidade de torná-la real. Meu Deus isso chega a ser cruel! 
Perfeita, apaixonante, compreensiva, objetiva, capaz de transmitir paz com uma simples explicação de algo que nos cause espécie. É, alguém assim só pode ser uma lenda!
Mas como uma pessoa pode ser lendária se ela existe? Existe e embora tente não deixar transparecer, tem suas carências, suas fragilidades, seus momentos de desânimo., seus momentos de solidão.  Claro que   exigimos dela este comportamento! ou  será que  se comportar assim passou a ser exigência dela mesma? Que diferença isso faz... se a amamos independente das exigências, se precisamos dela, assim como podemos "ser" para ela.  Queremos a sua "verdadeira imagem" que significa no latim "verum" e no grego "ikon" traduzida finalmente por VERÔNICA. A quem nós só temos a agradecer por ser quem é!