quinta-feira, 10 de novembro de 2016

OS DIAS



OS DIAS

Que fardo mais pesado podemos carregar?

O de conseguir, ou se dizer feliz em meio as atuais circunstancias do mundo, fitando unicamente o meu momento, O famoso ego inflado, o eu satisfeito, pleno pela suficiência daquilo que me rodeia? Ou o fardo pesado do nada poder fazer, de forma pratica e supridora?

Eu, não penso que ambas situações mudem a minha visão de um, dito ser humano, em um mundo catastrófico que a cada dia se fecha dentro de suas entranhas, quero crer que, na tentativa frustrada de proteger suas emoções e assim se mostre “feliz”!

Não sou eu, não é ela, não foi ele, nem por culpa dela.... Somos todos, que em sua singularidade resolveu olhar para aquilo que possa tornar possíveis os dias atuais e se por ventura algo no contexto desestruturar o brilho da pseudo beleza e felicidade que não pode haver, basta um bom verniz na história, crer no Deus da vitória e fazer por si mesmo o mundo mover!

MM

10.11.2016

sábado, 7 de maio de 2016

O Hino


O HINO

Canta minha esperança! Canta alto e não se cansa

Pois o dia já vai longo e ainda ti encontro

No infinito do meu querer

Canta minha esperança. Canta!

Canta alto e não se cansa

Já se foi o dia longo da dor que um grande ensinamento deixou

Canta minha esperança e lança para fora a alegria que outrora faltou!

Canta minha esperança a força de perseverar cantando ainda que um hino triste que em notas descompassadas, cansadas soavam inesquecíveis.

Canta minha esperança canta, canta o lamento do saber doer no outro a dor que em ti gerou canto.

Canta.

Canta minha alma canta o clamor que alcança os céus

E toca a força que há em Deus trazendo para nós o som revigorante do canto alucinante dos clarins dos anjos e arcanjos jubilosos em poesias cantantes.

Cante minha alma cante! Cante contente o canto que toda essa gente não conhece por descontente que são com seu jeito de ser gente e torne abrangente o canto que alcance todo o universo vivente.

Ah, minha alma doce docente canta contente por desconhecer a maldade de uma gente que nunca se rende a um Deus absoluto que deu seu filho para morrer por nós!

Canta minha alma inocente! Quem sabe um dia alguém atende ao seu canto contente e aceita o convite de viver eternamente a vida que Deus concedeu!

O hino que encanta o Coração do Senhor! Santo, santo, santo, santo!

Cante sem desfalecer que em breve o Senhor virá e do seu canto restará para alguma alma descansar!

 MM
03/2016

sexta-feira, 25 de março de 2016

Luiz Felipe Ponde e Ed Rene Kivits. O conceito de felicidade.

FAVOR


FAVOR

Penso que a Páscoa seja bem mais que a remota lembrança do Sacrifício Vicário de Cristo

Assim como, creio ter sido o maior ato de sacrifício traduzido em amor que se possa doar.

Se entendermos que a atitude que gerou morte e ressureição se deu por uma prática. Nela encontraremos amparo para agir.

Deu, doou, entregou, renunciou, abriu mão... são fatos concretos exercidos por alguém a outrem.

Entendo, portanto, que o anular-se em amor a quem quer que seja, é o nosso maior desafio e forma de reconhecer o grande favor que já nos foi dado. E com base nisso não nos cabe mais nada reivindicar a não ser misericórdia para suportar os dias que antecedem sua volta, onde o engano, a inverdade e a inversão prevalecem em detrimento a Única e imutável, Palavra inspirada de Deus!

Maranata!

Feliz Redenção!

MM
03/2016