terça-feira, 20 de novembro de 2012

"O PAPEL"

Assim como de tempos em tempos tenho vontade de escrever, em outros eu prefiro nada dizer.
Escrever é para mim uma forma de esvaziar meu coração, liberar minhas emoções
É transformar o papel em ouvidos cordatos, onde a incompreenção, o julgamento as condenações e acusações, nunca irão se manifestar, apesar de tudo que eu possa nele mencionar...
O papel é para mim um conforto que minha alma anseia desfrutar.
É como uma porta aberta onde as emoções represadas encontram passagem...
Ele é a certeza que não estou só.
É meu cumplice silencioso... minha esperança de aceitação... Meu amigo sem digitais, a voz do que nada fala, mas que permite que eu me ouça;
Os olhos de quem nada vê, mas que consegue que eu me perceba. O vazio que me possibilita preencher...
O papel é a minha melhor maneira de ser.
MM
Nov/2012