sexta-feira, 13 de julho de 2012

"MEU CORAÇÃO"

Bate descompassado, assustado, amedrontado, bate por bater, quase um gemer. Barulho de dor.
Esperança de Calmaria quase o leva a alegria e um compasso normal, mas ainda é forte e intensa a lembrança do mal.
Quem dera eu pudesse tirá-lo do peito e torná-lo refeito, trilhar outros caminhos para o medo não mais assombrar.
Sombra de uma memória rica de lembranças tristes e amarguradas por perdas e decepções, enganos e desilusões.
Embora a demora do descanso seja um fato, a espera o torna sobressalto e a ânsia não o deixa desvanecer.
Mas que espera angustiante e sombria do dia de tudo esquecer e no peito ele parar de bater!